quinta-feira, 12 de março de 2009

...somente sexo e amizade

Amei-te e odiei-te naquela tarde.
  • Abriste-me a porta e com um olhar silenciaste as palavras que não cheguei a proferir.

Recusaste-me o beijo e de uma forma fria, na qual não te reconheci, disseste-me que fechasse os olhos. Obedeci, ainda sem perceber que novo jogo era aquele, mas ansiosa por nele entrar.

Senti o toque do veludo no meu rosto quando me vendaste. Não soube reprimir a surpresa, sufocando um grito que não o chegou a ser.

A minha respiração e o bater descompassado do meu coração denunciavam o estado de efervescência em que me encontrava.

Guiaste-me através da escuridão que me tinhas imposto, por uma casa que não conhecia, amparando-me quando tropecei.

Senti que as tuas mãos me desapertavam, sem pressa, a blusa que usava. Tocaste ao de leve na minha pele, provocando um arrepio, seguiste a linha do meu pescoço, descendo até que a tua mão se reteve no meio seio… envolvendo-o, apertando com força o mamilo que denunciava o desejo que despertavas em mim.

Apertaste mais até me magoar. Arfei, num misto de receio e excitação.
- Pára! Que raio julgas…

Não me deixaste continuar, tapando-me a boca com um beijo. Um beijo que há muito desejava. Aceitei-o com sofreguidão… e então paraste de me beijar.

A dor do desejo não satisfeito era intensa… ou seria apenas aquela que os teus dedos provocavam ainda ao apertar?
- Porquê tudo isto?

“- Shiu! Não quero mais perguntas. Só respostas e apenas quando eu as pedir.”

Tiraste-me a saia e percorreste com ponta dos dedos a renda do cinto de ligas que me tinhas pedido para usar. Sentia as tua mãos acariciando-me as pernas, tocando ao de leve os joelhos que tremiam.

Arrancaste-me o soutien e com ele um grito que não consegui evitar.
- Será preciso amordaçar-te? Preferia não o fazer…
Acenei-lhe que não.

Deixaste-me de pé, sozinha… no meu corpo apenas as meias e o cinto de ligas. Tinhas-me dito para não usar tanguinha e assim fiz… nesta altura já me questionava se teria feito a coisa certa.

Assustava-me aquele estranho em que te tornaras. Mas também me excitava de uma forma que me surpreendia.

Num momento senti a tua respiração ofegante junto do meu rosto e julguei que me ias beijar… entreabri os lábios de expectativa. Precisava de te sentir… mas apenas senti as tuas mãos nos meus ombros, forçando-me a ajoelhar.

Senti nessa altura que aproximavas o teu caralho da minha boca… tão duro… molhei-o com a língua e deixei que os meus lábios o envolvessem, chupando, engolindo-o, sentindo-o cada vez mais duro…
E então tiraste-o.

“- Pede-me. Diz-me o quanto o queres chupar!”
Sabias o quanto adorava fazê-lo, o quanto me excitava senti-lo a endurecer e engrossar ao ritmo com que o chupava.
- Deixa-me chupar-te…
“- Convence-me que o queres!”
- Quero… muito… sabes isso. Deixa-me sentir o teu caralho na minha boca… deixa-me mostra-te a vontade que tenho de ti… deixa-me…

Não me deixaste dizer mais nada, antes permitiste que continuasse o que pouco antes interromperas, enchendo-me a boca com ele.

As tuas mãos na minha nuca impunham um ritmo cada vez mais acelerado, empurrando até te ao fundo, dificultando-me a respiração… mas saciando o desejo que tinha de ti.
(continua)

28 comentários:

No Angel disse...

Deliciosa descrição. Um sonho ou um segredo?
Bjos

A disse...

"arfei", aí está uma palavra que não se ouve todos os dias.

Seline disse...

Sê bem vinda No Angel.
Tem mais de segredo que de sonho.
Bj

Seline disse...

Olá A
Talvez, e creio que também raramente se lê.
Vai passando, quiçá "ouças" mais ;)
Bj

BlackQuartzo disse...

Ufaaaa!!!! Está a aquecer!

beijos

No Devil disse...

Eu não disse que o selo tinha sido bem entregue... assim muitos mais se seguem...

Adoro a forma como descreves e escreves ...

Beijos

Blue disse...

Ai tou cá cuns calores!!!!
Preciso que me abanem!!!!
;D
HOT!
;)

kiss

Tretoso Mor disse...

Seline,

Sim, tem todos os condimentos de segredo...

Mas um segredo bem guardo que agora foi muito bem contado!

Tretices em segredo para ti.
(http://tretas-da-vida.blogs.sapo.pt/)

Rei Lagarto III disse...

Gosto de descrições na 1ª pessoa...

Penumbra disse...

Grande "retrato"... fizeste-me quase ver (sentir)

Estou á espera da continuação...

um beijo

Seline disse...

BlackQuartzo,
A tua foto de perfil ilustra as tuas palavras... black turned in to red ;)
Bj

Seline disse...

Obrigado No Devil
Estou à espera da tua continuação... ;)
Bj

Seline disse...

Blue,
E é provável que aqueça ainda mais... ;)
Bj

Seline disse...

Obrigado TM,
But the names have been changed, to protect the innocents (not that innocents in this case) ;)
Bj

Seline disse...

Caro Rei Lagarto III,
Não me permito outro tipo de descrições ;)
Bj

Seline disse...

Sê bem vindo Penumbra
Garanto que não terás de esperar muito ;)
Bj

Paulo disse...

Sabe bem recordar através das tuas palavras, enches-me de desejo de te voltar a abrir a porta... e quero, quero voltar a ouvir implorares para te encher a boca com ele...

Seline disse...

Sabes...
A distância não diminuiu o desejo... antes o inflamou.
Beijo-te com saudade

Zeze disse...

Muito Bom, Parabéns!

Bem descrito ou escrito :)

Beijoka

Seline disse...

Obrigado Zeze,
Sê bem vindo.
Atrevo-me a confessar que foi real... intensamente real.
Bj

{Nanda}_A disse...

Nossa...
agora viajei...kk
que delicia de relato...
com detalhes...
dá para imaginar a cena...
sentir...

adorei...
bjs

A Silenciosa disse...

Poderosos momentos de loucura.......

Que porta não se feche :)


Beijo meu

Seline disse...

Obrigado Nanda
Bj

Seline disse...

Por vezes acho que "loucura" não chega para descrever o que vivemos...
Obrigado Silenciosa
Bj

Rei Lagarto III disse...

Então e o resto? Estavas com dificuldade em respirar... Uma pessoa fica preocupada...

bj

Seline disse...

Caríssimo Rei Lagarto III,
Para evitar tais preocupações (ou não), aí fica a continuação.
Bj

vagabundo disse...

vai lá vai!
e eu que tenho medo de ser ousado...

deliciosamente...
real.

Seline disse...

A amizade e confiança que partilhamos, permite-nos não ter medo de dizer o que queremos...
Beijo