terça-feira, 14 de abril de 2009

Playing games IV


“- Deita-te na cama.”

Com algemas forradas a veludo prendeste-me as mãos às colunas que suportavam o dossel, na cabeceira da cama. Sustive a respiração antecipando o prazer.
Fizeste o mesmo com os meus pés que prendeste às colunas de baixo. Encontrava-me totalmente imobilizada. Pensei que me fosses tocar… queria sentir-te. Mas limitaste-te a aumentar progressivamente, até ao limite, a intensidade do ovo vibratório que ainda se encontrava dentro de mim.

Deliciosa a sensação. Insustentáveis os gemidos que me agitavam o corpo. Queria tocar-me e assim alcançar a explosão que sentia a formar-se dentro de mim… mas não podia. E tu também não o fizeste. Limitaste-te a brincar, diminuindo a intensidade quando me adivinhavas perto de atingir o orgasmo.

- Quero sentir-te… gemi.
“- Não. Ainda não…
- Solta-me...
“- Convence-me!”

- Quero-te Paulo! Preciso de te sentir dentro de mim… quero o teu caralho a preencher-me totalmente… enlouqueces-me ao não deixar saciar este desejo que acendes em mim… solta-me… só por uns instantes…
“- Por uns instantes então… apenas isso.”

Soltaste-te da cama e de imediato te envolvi com os meus braços, puxando-te pelos cabelos e apertando-te contra mim. Beijei sofregamente esses lábios que me enlouqueciam… e fiz com te deitasses na cama. Tirei a roupa que ainda escondia o teu corpo de mim e atirei-a para uma cadeira que se encontrava ao lado da cama.

O teu olhar… adoro quando me olhas assim… intensamente… insanamente… um olhar onde o desejo comanda. O brilho que não escondem torna-os ainda mais verdes, sabias?

Meio a sério, meio a brincar coloquei as algemas nos teus pulsos, e prendi-os às colunas da cama…
“- O que estás tu a fazer… malvada.” – sussurraste.
- Shiu… - disse-te a sorrir.

Mordi-te o lóbulo da orelha e desci pelo teu pescoço… beijando cada centímetro de pele, agora à minha disposição… chupei ao de leve os teus mamilos e desenhei com a minha língua um trilho de saliva até ao teu umbigo… a tua respiração ofegante confirmava a excitação que a tua erecção também não saberia negar…

De joelhos na cama, e sem parar de te olhar nos olhos, levei o teu caralho uma vez mais à minha boca… percorri-o com a língua...
- Adoro sentir-te assim… e saber que estás assim por minha causa…

Sentia a tua respiração acelerada... e o bater descompassado do teu coração...

Afastei-me e abri ligeiramente as pernas… com a mão retirei o ovo… esperava que me repreendesses… mas a excitação falou mais alto que qualquer regra.

Coloquei-me sobre ti e guiei o teu caralho para dentro de mim… fi-lo deslizar devagar e depois movendo o quadril forcei-o todo para dentro de mim, não calando um gemido de prazer…
Também tu mordias o lábio inferior...

Sem parar o movimento que te empurrava (ou puxava?) cada vez mais para dentro de mim, deitei-me sobre ti e apoderei-me da tua boca…
“- Pára! Vais fazer com que me venha…”

Mas eu não queria… nem que quisesse conseguiria parar naquela altura. Também eu me sentia prestes a atingir o orgasmo… e não queria adiá-lo mais. Ao invés de parar, acelerei o ritmo até que um grito que soou em uníssono marcou a explosão do prazer… todo o meu corpo tremia… e a respiração teimava em não acalmar…

“- Malvada…” – murmuraste.
- Desculpa…
“- Se não me tivesses prendido à cama agora dava-te umas palmadas… andas a pedi-las…”
- Não seja por isso... mas só se prometeres que antes me dás banho…
“- Eu dou-te banho… mas depois. Solta-me agora.”

Deitei-me sobre ti para desapertar as algemas.
- Vais castigar-me agora? – sussurrei-te ao ouvido de forma provocadora.

Rolaste sobre mim e imobilizaste o meu corpo debaixo do teu. A tua boca tomou conta da minha. As minhas mãos no teu rosto puxavam-te mais para mim.
“- Deixas-me louco…”
- Bem feito… não seria justo que fosses só tu a ter esse efeito em mim…”
Falávamos por murmúrios, saciando-nos em carícias…

“- Quase me esquecia…”
- Sim?
“- Tenho de castigar-te…”
Sentaste-te na cama e puxaste-me de forma a que ficasse no teu colo de barriga para baixo. Uma palmada forte… eu nada disse.

“- Devia dar-te uma por cada minuto de atraso…” - disseste ao meu ouvido.
Um tremor involuntário percorreu o meu corpo.
“- mas íamos perder o resto da tarde… e há formas bem melhores de a ocuparmos…”
Evitei um suspiro de alívio.
Uma outra palmada com mais força ainda. E outra. E outra ainda.
“- Gosto de te ter assim… submissa. E de ver este rabinho lindo bem vermelho…”

Beijei-te… um beijo longo… intensamente saboreado. Inebriava-me a sensação de me entregar a ti.
Pegaste-me ao colo e levaste-me para a banheira… tão bom aninhar-me nos teus braços… pousaste-me e entraste comigo. Puseste a água a correr e empurraste-me para debaixo do chuveiro.
- Não. Está fria ainda!

Claro que fizeras de propósito. Mas não demorou a aquecer. Foi a minha vez de te puxar… a água escorria pelos nossos corpos acariciando cada centímetro da nossa pele. As nossas bocas unidas saciavam outra sede… não usámos o gel, apenas a água e as nossas mãos… sabíamos que antes do dia findar estaríamos novamente ali.

37 comentários:

Paulo disse...

A tesão que me dás com estas recordações é cada vez maior...

Seline disse...

Paulo... prefiro fazê-lo pessoalmente...
Beijo-te com saudade

No Devil disse...

Palavras para quê ... basta ler e sentir :))

Beijo

Paulo disse...

Também eu minha linda puta! Anseio pelo dia em que me voltes a servir...

Seline disse...

No Devil,
Que sejam boas as sensações despertas pela leitura.
Beijo

Seline disse...

Paulo... não precisas de me provocar mais ainda cabrão... já me apeteces o suficiente!

Sacerdotisa disse...

Seline...

Atiças meus pensamentos a cada palavra escrita aqui... sinto-me perder no meio dessas sensações tão inebriantes!

Beijos...

Blue disse...

Palavras fortes, picantes. Despertam desejos........ Bjs

Seline disse...

Sacerdotisa,
Obrigado pelas tuas doces palavras.
Beijo

Seline disse...

Blue,
É uma boa forma de começar ;)
Beijo

Helô Müller disse...

Beleza pura ... parabéns pelo seu Blog !

Seline disse...

Helô Müller,
Seja bem vinda. Obrigado.
Beijo

Rafeiro Perfumado disse...

Só tenho uma dúvida (esta minha mania de visualizar as cenas): a cama era de solteiro, certo? É que para conseguir amarrar cada pé e cada mão a uma das colunas numa cama de casal, era quase esquartejamento! ;)

Beijo!

Saltos Altos Vermelhos disse...

escaldante

T disse...

Seline querida, é o que eu digo, cada vez que te leio acho que vou ter uma coisinha má! Deliciosa descrição amiga, espectacular!
Que tesão mais saborosa..que vontade!!
Estes castigos reciprocos...hummm...não há explicação! Maravilhosos, hum?


BEIJOS GRANDESSS* =)

Aqui - Ali - Acolá disse...

Ó Seline mas que descrição tão fogosa tu pões nos teus posts.

Valente doçura feminina tu és, a mística das tuas palavras tão bem escolhidas nos momentos mais marcantes faz uma pessoa elevar-se no espaço, é por isso que eu te torno a dizer:

Mulher sem papas na língua e forte no prazer, não deixes baixar a temperatura que tens em ti senão ficarei grudado ao chão.

Bjinhos, felicidades e que o amor esteja sempre presente em ti.

Desejos Aliciantes disse...

Perfeitas palavras que descrevem emoções...
Belo texto amiga
cheio de emoção e desejo
Boa noite pra vc
Beijos aliciantes

Seline disse...

Caro Rafeiro,
Boa mania essa de visualizar as cenas... :P
Permite-me então que te esclareça, a cama não era de solteiro, mas as algemas em causa tinha cerca de 30cm de corrente, o que evitava o esquartejamento ;)
Beijo

Seline disse...

Saltos Altos Vermelhos,
Fazemos por isso ;)
Beijo

Seline disse...

Querida T.,
Que seja uma coisinha má no bom sentido ;)
Beijo enorme linda

Seline disse...

Querido Aqui-Ali-Acolá,
Obrigado por tão doces palavras.
Que a vida te sorria sempre alma linda.
Beijo

Blue disse...

Huuuuummmmm...tão bom ler-te...
:)

kiss

Seline disse...

Querida Gaby
E no fundo não passa de um ténue reflexo das emoções vividas e partilhadas...
Beijo linda

Seline disse...

Blue,
É recíproco linda :)
Beijo

A disse...

isto lembra-me hoje de manhã, quando fiquei sem água no banho. mas no meu caso usei o gel e não tinha água e estava sózinho... afinal não tem nada a ver.

A disse...

de que marca era o gel? era daqueles que não precisa enxaguar? é que isso dava-me um jeitaço estes dias.

Seline disse...

A.,
Isso deve ter sido desagradável...
Quanto ao gel, não cheguei a reparar... ou se reparei, esqueci. Mas creio que era preciso juntar água... lamento não poder ajudar.
Beijo

Rafeiro Perfumado disse...

Safaste-te bem... onde é que se compram? :D

Seline disse...

Lol.
Em qualquer sex-shop.
Eu confesso que tenho um carinho especial pela erosfarma... foi a minha 1ª ;)
Vê os "bondage sets" :P
Beijo

paras disse...

Uiii que tesão ;)


jinho
paras

Seline disse...

Sê bem vindo Paras
Nice to know ;)
Beijo

S disse...

Que post, que tesão. A minha T tem razão, acaba de se ler e fica-se numa excitação...
Parabéns Seline, adorei, aliás, adorámos, eu e a minha T.
:)

Seline disse...

Obrigado S. :)
Sei que vão aproveitar da melhor maneira ;)
Um beijo enorme para vocês

Alentejanito disse...

Texto cheio de tesão. E k tesão...

Beijos tesudos

No Angel disse...

Perco-me nestes teus textos... paixão e sensualidade à flor da pele. Lê-se, sente-se.
Bjos, mtos

Seline disse...

Obrigado Alentejanito,
Sê bem vindo.
Beijo

Seline disse...

No Angel,
Perde-te à vontade sempre que quiseres :)
Beijo